13 de abril de 2010

Olhar (a) fundo

A menina disse, distraida, displicente, daquele jeito sonso que faria qualquer garoto se apaixonar, que gostava de olheiras. Desde esse dia, e por isso, o menino - que era apaixonado por ela - parou definitivamente de dormir. A cada dia ele tomava mais e mais café e remédios pra ficar acordado, e até algumas drogas, quando ficava mais difícil manter-se de pé. Quando suas pálpebras estavam quase cerrando-se e a imagem dela começava a surgir num princípio de sonho bom, ele as abria com toda a força e permanecia acordado. Teria as maiores olheiras que alguém já vira, e ela o amaria.
Ela, ainda assim, não reparou, e depois de cinco dias acordado, o garoto teve um problema fatal por falta de oxigenação no cérebro. Ele, já algumas horas antes de morrer, só balbuciava coisas sem sentido e o nome da menina.
Já no velório, ela olhou fixamente para o rosto castigado pela loucura e vigília forçada do menino e reparou: ele era lindo. Chorou um pouco por nunca ter se permitido conhecê-lo, mas de repente viu num canto o melhor amigo dele, com os olhos muito fundos de tanto chorar.
Apaixonou-se na hora.

8 comentários:

Babi disse...

HAuahuAhuahuahuhauhauAhUA
É.. q merda!!

liv disse...

ai dani :(

liv disse...

ai dani :(

Daniel Contage disse...

É sempre assim.

Rayane disse...

Gosto tanto desse. rs

Daniel Contage disse...

Hahahaha.. estranho, eu nem gosto muito dele. Mas obrigado, bom saber que alguém gosta de alguma coisa que eu escrevo. Hehehe!

Anônimo disse...

E a morte seria evitada se ela apenas olhasse para o lado, se ele não fosse apaixonado por ela ou se ele tentasse a conquistar de outra forma?
Num. 3

Anônimo disse...

ah, mesmo acreditando que você vai demorar pra ler (ou nem chegar a ler), eu ia me esquecendo de dizer:
Bem legal o texto, dá abertura a várias interpretações e conclusões.
Num. 3