26 de julho de 2010

Lívida

Branca;
já teu nome te decanta.
Falta até que não faz tanta
coisa assim de uma vez.
Linda, lírio, pele em tez,
e a lingua alinha e outra vez
eu não sei como é que se diz
'delírio' em português.

Tanto!
Teu nome me entrega e eu canto,
mas volto logo pro meu canto
pensando em esquecer de vez..
Linda, lírio, pele em tez,
e a lingua alinha e outra vez
eu não sei como é que se diz
'delírio' em português.

9 comentários:

Aninha disse...

Hey, eu gostei =P Não só do ritmo mas tbm de como o fim volta ao começo, parece até aquelas cantigas de roda.

Daniel Contage disse...

:)

Era pra ser uma música, de fato.

Só que eu nunca consegui compor o resto.. virou poema.

Ana disse...

Lindo!

Daniel Contage disse...

Muito obrigado, Anas.

Na verdade, isso tá aqui nos rascunhos desde setembro de 2009! Faz quase um ano.
Fui olhar, tem várias paradas nunca postadas, algumas até boas.

De qualquer jeito, se aplica.

RDemarchi disse...

Lindo texto.

Daniel Contage disse...

Textos são tão lindos (ou terríveis) quanto o que os inspira, acho.
:)

Obrigado.

Thais disse...

Nossa vc eh bom nisso
adoreiiiiiii a poesia
tenta terminar de compor
procure algo que te inspire e va em frente

Daniel Contage disse...

Mas não dá pra continuar essa, porque o que a inspirou já não é a mesma coisa, entende?

livmelo disse...

você é um amor.