22 de dezembro de 2009

Lágrima

Seu devir é um breve rubor acompanhado de um arrepio, cujas causas, desconhecidas, são o único conhecimento possível no momento observado. O entrecortar ansioso da respiração anuncia, sem erro, o fenômeno que seguirá; sente-se algo subir e percorrer a extensão do corpo e inundar o momento: o espaço e o tempo. Ela brota, vindo de lugar nenhum e instantaneamente (sendo, assim, inespacial e atemporal); sem que se queira, mas inimpedível; abrupta e ao mesmo tempo cálida, confortável. Ela reflete o mundo, iluminada por ele, mas o rejeita, pois ele é a causa de sua sôfrega existência. Uma parte liquefeita daquele que a chorou, mas – assim como a poesia está para a prosa – condenada a se conter, concentrada, condensada, como se a tristeza de todo um corpo pudesse reunir-se num só ponto e separar-se desse corpo. Desliza cortando o rosto, desprende-se dele, molha o chão. Contradição e tautologia, metáfora e metonímia, vontade e desejo. Tudo o que se foi neste momento reunido numa gotícula, que se faz em milhares de frações ao se espatifar no solo, espalhando por ele todo o sentimento. Logo vem outra.

11 comentários:

Ferreira, Lai disse...

legal que eu tinha ignorado o título e berrei aqui, quando terminei de ler "LÁGRIMA!"

como se quisesse dizer "você não me engana".

cara, descobri como "tirar" a sua maldição, ou seja lá o que for.
adoro livros velhos e carcomidos + wikipédia.
(:

chayenne f. disse...

legal que eu tinha ignorado o título e berrei aqui, quando terminei de ler "LÁGRIMA!" [2]

Gi disse...

sou a terceira pessoa a ignorar o título! haiuhauihauihiuahuia.. BIZARRO!

Lindo texto, Dan..

;*

Daniel Contage disse...

:)
Eu não ia colocar esse título porque ia deixar muito óbvio, mas no fim, funcionou.

Luiz Ribeiro disse...

bom demais esse, mlk.

Anônimo disse...

Finalmente, Daniel, você está de volta.

Daniel Contage disse...

Nossa, gente, obrigado.

E ai está, "de volta", nosso amigo Anônimo. Será que esse ano ainda ele se revela?

Clara disse...

Nossa. Tinha ignorado o título, também.
Nunca dei muita trela pra título, eu acho.

Gostoso de ler, adorei (:

Daniel Contage disse...

Acho que eu sou a pessoa que mais se importa com títulos no mundo. Mas nem sempre consigo fazer um bom, como vocês podem perceber. :)

Ferreira, Lai disse...

Mas esse é o melhor de todos!

(custo)

Daniel Contage disse...

Sim, sim, esse realmente é bom! :)